Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A base do problema

Hoje eu estava comentando com meu namorado sobre um curso de cinema do qual participei, e percebi que todos os alunos eram meio que envolvidos com questões sociais.

Isso é maravilhoso, esplêndido, magnífico. Agora eu pergunto: do que adianta eu salvar uma criança se eu destruo o planeta em que ela vive? Daqui a 20 anos, a vida na terra vai ser difícil, e o que vai ser dessa criança?

As pessoas esquecem que todo problema começa pelo ínicio, e nós temos um problema que precisa ser urgentemente corrigido, que é a destruição do meio ambiente, a destruição da verdadeira casa que nós temos.

Cegos que somos, não percebemos que não basta ajudar umas pessoas necessitadas para ser o mocinho da história. Sei que não são todos que agem assim, mas sei que muitos não possuem o conhecimento para agir assim.

Salvar o mundo é algo difícil. Se você quer salvar o mundo, precisa saber o que faz o mundo precisar ser salvo. Sou uma ambientalista fervorosa, vegetariana e defensora dos animais não-humanos, mas sei que o mundo não é só arvores e bichinhos, que é também uma espécie insuportável, egoísta e sem noção.

Vou ser dramática e dizer que não ligo para a humanidade. Em principio, não. Mas eu quero uma humanidade para me preocupar, uma humanidade que saiba conviver em harmonia, onde realmente haja a tão cobiçada liberdade.

Quero que todos tenham o direito de enxergar que o mundo está um caos... Mas infelizmente, não é assim.

FOCAR NUM ÚNICO PROBLEMA NÃO VAI TE FAZER SALVAR O MUNDO, fato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário